Escolha uma Página

O dever de todo cristão verdadeiro é conhecer muito bem a bíblia. É através da Bíblia Sagrada que Deus fala conosco.

Vejo muitos cristãos que não sabem nem debater sobre o livro sagrado. Isso acontece porque eles não meditam na palavra de Deus diariamente e por isso, não entendem o que o Senhor quer falar.

 

É nosso dever meditar na bíblia todos os dias para que a gente possa entendê-la e assim possa ter respostas para as perguntas que venha a receber.

Se você não conhece muito bem a bíblia, não se preocupe! Hoje eu vou te ajudar.

guia da bíblia

Resolvi criar esse guia sobre a Bíblia Sagrada para te passar algumas informações muito importantes que é obrigação de todo cristão saber.

Chega de conversa e vamos para o que interessa. Vou começar bem do início para que você não fique com dúvidas.

 

 

O que é a Bíblia?

 

A “Bíblia Sagrada”, conhecida também por “Escrituras Sagradas”, é formada por 66 livros distribuídos em duas partes, chamadas de “Testamentos”. A palavra “testamento”, nesse contexto, quer dizer “aliança”, “pacto”, “Concerto”.

 

Os livros do Antigo Testamento contam como Deus criou o mundo e também narram a história do povo de Israel antes da vinda de Jesus Cristo.

 

No Novo Testamento, conta-se a história de Jesus Cristo, dos apóstolos e da Igreja Primitiva. O Novo Testamento também inclui algumas cartas escritas naquele tempo e um livro de visões chamado apocalipse.

Vamos ver um pouco mais sobre os testamentos abaixo…

 

 

Quem Escreveu a Bíblia?

 

A Bíblia Sagrada foi escrita por aproximadamente 40 escritores, durante um longo período de 1600 anos. Entre esses escritores s encontravam sábios, reis, pastores, agricultores, historiadores, legisladores, médico, sacerdotes, juízes e pescadores.

 

O primeiro escritor foi Moisés, que viveu aproximadamente 1500 anos antes de Cristo, e escreveu os 5 primeiros livros da Bíblia Sagrada. O último dos escritores foi o apóstolo João, que viveu até ao final do primeiro século da era cristã.

 

Esses escritores viam de várias classes sociais, e tinham diferentes níveis intelectuais.

 

E devido a essa grande diversidade de escritores não se deve examinar as Escrituras Sagradas como se examina um livro qualquer.

As instruções e orientações contidas na Bíblia foram dadas de forma esporádica, mas progressivamente no decorrer dos séculos, razão pela qual os seus ensinos encontram-se esparsos nos 66 livros que constituem as Escrituras Sagradas.

 

 

Antigo Testamento

 

O Antigo Testamento é constituído por 39 livros que foram escritos ao longo de mil anos. Esses livros focalizam o início da criação do mundo e as antigas alianças de Deus com Noé; Abraão e sua descendência.

 

Eles também contam a história do povo de Israel, dos seus costumes, e anunciam a vinda de Jesus Cristo.

 

O Antigo Testamento foi escrito em hebraico, com alguns poucos trechos em aramaico, língua que também é conhecida como siríaco. Ele é dividido em 4 grupos os quais você pode ver no próximo tópico.

 

Divisões do Antigo Testamento

 

Os livros do Antigo Testamento são agrupados em 4 divisões:

 

  1. Lei
  2. História
  3. Poesia
  4. Profecia

 

Lei:  São os 5 primeiros livros, também chamados de Pentateuco. Esses livros são: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.

 

História: São 12, esses livros são: Josué, Juízes, Rute, 1 Samuel, 2 Samuel, 1 Reis, 2 Reis, 1 Crônicas, 2 Crônicas, Esdras, Neemias e Ester.

 

Poesia: São 5 livros, que também chamados de poéticos, são eles: Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cantares.

 

Profecia: São 17 livros que são divididos em dois grupos chamados profetas maiores e profetas menores.

 

Profetas Maiores: São 5 livros, são eles: Isaías, Jeremias, Lamentações, Ezequiel e Daniel.

 

Profetas Menores: São 12 livros: Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

 

 

Pentateuco

 

A palavra “Pentateuco” significa “cinco volumes”. Esses livros falam sobre a criação do mundo e da humanidade e contam também a história dos hebreus, começando com a chamada de Abraão e continuando até a morte de Moisés, que aconteceu quando o povo hebreu estava para entra em Canaã (A Terra Prometida).

 

Veja também: É pecado comer carne de porco?

 

Novo Testamento

 

O Novo Testamento foi originalmente escrito em koiné, grego mais popular falado entre os habitantes da Grécia e também de boa parte do mundo romano daquela época.

 

O Novo Testamento é composto por 27 livros que contam a história da vinda do Senhor Jesus Cristo. O ponto central da sua mensagem é a Nova Aliança de Deus com aqueles que aceitam o Senhor Jesus Cristo como senhor e salvador.

 

Ele conta também a história da Igreja Primitiva.

 

Divisões do Novo Testamento:

 

O Novo Testamento é dividido em 4 partes, que são elas:

 

  1. Biografia
  2. História
  3. Epístolas
  4. Profecia.

 

Biografia: Chamam-se biográficos os quatro primeiros livros, os Evangelhos, sendo que os três primeiros são também chamados sinópticos, pois são muito parecidos entre si, chegando a permitir uma perfeita comparação de seus textos.

 

Na Igreja Primitiva, era conhecido apenas o Evangelho, como eram chamados os 4 volumes, e essa diversidade tem algumas razões, principalmente devido ao público-alvo e às características específicas de Jesus, que foram apresentadas em cada um desses livro:

 

  • Mateus: Escrito originalmente em hebraico, dirigido aos judeus e apresentando Jesus Cristo como o Messias tão esperado.
  • Marcos: O menor dos Evangelhos, com apenas 16 capítulos, dirige-se aos gentios, especialmente aos romanos e apresenta Jesus como Rei vitorioso.
  • Lucas: É o mais completo de todos; uma espécie de primeiro volume de Atos, dirige-se aos gregos para apresentar Jesus como o Filho do Homem.
  • João: É, de todos os Evangelhos, o mais espiritual. Dirigido a todos os que creem, à Igreja do Senhor, e apresenta Jesus como o Filho de Deus.

 

História:  O registro da História da Igreja Primitiva se encontra no livro de Atos dos Apóstolos.

 

Epístolas: São 21 cartas, de Romanos a Judas, servindo para estabelecer para nós a história da doutrina apostólica que serviu de embasamento para a Igreja. Podemos notar que há subdivisões:

  • Eclesiásticas – São dirigidas à Igreja e são nove: Romanos, 1 Coríntios, 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 Tessalonicenses e 2 Tessalonicenses.
  • Individuais – São 4 cartas dirigidas a pessoas: 1 Timóteo, 2 Timóteo, Tito e Filemon.
  • Coletiva – uma única carta, Hebreus, que se dirige a todos os judeus que tinham-se tornado cristãos.
  • Universais – São 7 cartas que se dirigem a todos igualmente: Tiago, 1 Pedro, 2 Pedro, 1 João, 2 João, 3 João e Judas.

 

Profecia: É o livro do Apocalipse, também chamado de Revelação, onde lemos a respeito da volta do Senhor Jesus, de maneira direta e pessoal, bem como dos acontecimentos previstos em função desse momento maravilhoso.

 

Os livros apócrifos

 

Os livros chamados apócrifos são aqueles que não constam da Bíblia utilizada pelos evangélicos. A palavra apócrifo quer dizer “oculto, sem autenticidade, falso” e, em termos de Bíblia, diz respeito aos livros produzidos no período interbíblico, ou seja, entre o último livro escrito do Antigo Testamento e o primeiro livro escrito do Novo Testamento.

 

Quando a voz de Deus silenciou, aproximadamente quatrocentos anos, a voz do homem falou alto, gerando esses textos.

 

Os apócrifos foram escritos depois de haver cessado a inspiração divina, o que os torna literatura secular; fato comprovado pelos judeus, que nunca os aceitaram como sendo canônicos.

 

Da mesma forma, não há nenhuma menção nem mesmo uma só referência, que nos indique que os apóstolos ou a Igreja Primitiva aceitavam ou reconheciam tais livros.

 

Na verdade, os apócrifos migraram da Septuaginta (primeira tradução do Antigo Testamento feita para o grego) para a tradução latina e daí para a Vulgata Latina. A história conta que Jerônimo os inseriu em sua Vulgata à força, já que não concordava em fazê-lo. A Igreja Romana só foi declarar esses acréscimos como sendo canônicos em abril de 1546.

 

Quatorze livros apócrifos, no total, foram inseridos na Septuaginta e, mais tarde, foram incorporados pela Igreja de Roma ao seu texto bíblico.

 

Esses livros são: Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruque, 1 Macabeus e 2 Macabeus. Os acréscimos são: Ester 10.4-16.24; Daniel 3.23-90 (chamado Cântico dos Três Santos Filhos ); Daniel 13 (chamado A História de Suzana ) e Daniel 14 (chamado Bel e o Dragão ).

 

Por ocasião da Reforma Protestante, os reformadores, ao constatarem os acréscimos, fizeram questão de que o Antigo Testamento adotado pelos cristãos, a partir daí, fosse de igual conteúdo ao dos antigos hebreus, antes da Septuaginta.

 

Conclusão

 

Com esse guia completo da Bíblia Sagrada, você pode aprender um pouco mais da palavra de Deus.

Você aprendeu o que é de fato a Bíblia.

Quem escreveu a Bíblia.

Aprendeu sobre os testamentos e suas divisões.

 

Ou seja, através desse guia, você teve acesso a todas informações necessárias para não ter mais dúvidas.

 

Espero que você tenha gostado desse guia completo da Bíblia Sagrada e que ele possa te ajudar a crescer espiritualmente.

Fique na paz do Senhor e até a próxima.

 

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!